Guepardo voltará a correr na Índia


Está tudo pronto para o guepardo voltar a correr novamente na Índia, o Ministério do Meio Ambiente que deu “em princípio” a aprovação para recuperação de três reservas que funcionarão como habitats dos animais mais rápidos do mundo.

Em um projeto piloto, 18 chitas serão trazidos do Irã, África do Sul e Namíbia, que têm demonstrado a sua vontade de colaborar com a Índia na reintrodução dos guepardos.

Uma avaliação feita pelo Instituto de Vida Selvagem da Índia (WII) e do Wildlife Trust of India (WTI) recomendou que as chitas poderiam ser reintroduzidos em Kuno-Palpur, santuár

io Nauradehi, Madhya Pradesh e Shahgarh em Jaisalmer, Rajasthan.

A última aparição documentada ocorreu em 1947, quando o rei da Sarguja matou três leopardos, durante uma caçada.
Em 1952, o governo anunciou a extinção de chitas no país. Este é possivelmente o único animal de grande porte extinto na Índia nos últimos tempos.

Os dois institutos, apresentaram seus estudos de viabilidade para o Ministro do Meio Ambiente, Jairam Ramesh na quarta-feira, revelando que as áreas requerem uma preparação e investimento a longo prazo. O WII e WTI pesquisaram sete reservas antes de eleger estes três lugares, segundo fontes oficiais.

Uma vez introduzidos, esses animais são suscetíveis a serem introduzido em primeiro lugar Kuno Palpur, se os trabalhos preparatórios já foram realizados para a introdução dos leões asiáticos.

O santuário de 6.800 quilômetros quadrados pode sustentar 27 chitas, que poderia ser melhorado para mais de 32, adicionando algumas áreas mais florestadas (120 sq km) ao Santuário de Kuno e gestão do ambiente.

O Santuário Nauradehi (1.197 km ²) no MP pode suportar 25 chitas e se 23 aldeias da área central forem realocadas, o santuário poderia abrigar até 70 animais.

A paisagem Shahgarh na fronteira internacional em Jaisalmer foi considerado adequado para ter 15 chitas, inicialmente, que poderia ser aumentado para 40 por gestão de habitat. No entanto, uma vez que a área tem utilizado sazonalmente assentamentos humanos, eles terão de ser deslocados com uma compensação adequada e generosos planos alternativos devem ser apresentados.

Está tudo pronto para o guepardo voltar a correr novamente na Índia, o Ministério do Meio Ambiente que deu “em princípio” a aprovação para recuperação de três reservas que funcionarão como habitats dos animais mais rápidos do mundo.

Em um projeto piloto, 18 chitas serão trazidos do Irã, África do Sul e Namíbia, que têm demonstrado a sua vontade de colaborar com a Índia na reintrodução dos guepardos.

Uma avaliação feita pelo Instituto de Vida Selvagem da Índia (WII) e do Wildlife Trust of India (WTI) recomendou que as chitas poderiam ser reintroduzidos em Kuno-Palpur, santuário Nauradehi, Madhya Pradesh e Shahgarh em Jaisalmer, Rajasthan.

A última aparição documentada ocorreu em 1947, quando o rei da Sarguja matou três leopardos, durante uma caçada.

Em 1952, o governo anunciou a extinção de chitas no país. Este é possivelmente o único animal de grande porte extinto na Índia nos últimos tempos.

Os dois institutos, apresentaram seus estudos de viabilidade para o Ministro do Meio Ambiente, Jairam Ramesh na quarta-feira, revelando que as áreas requerem uma preparação e investimento a longo prazo. O WII e WTI pesquisaram sete reservas antes de eleger estes três lugares, segundo fontes oficiais.

Uma vez introduzidos, esses animais são suscetíveis a serem introduzido em primeiro lugar Kuno Palpur, se os trabalhos preparatórios já foram realizados para a introdução dos leões asiáticos. O santuário de 6.800 quilômetros quadrados pode sustentar 27 chitas, que poderia ser melhorado para mais de 32, adicionando algumas áreas mais florestadas (120 sq km) ao Santuário de Kuno e gestão do ambiente.

O Santuário Nauradehi (1.197 km ²) no MP pode suportar 25 chitas e se 23 aldeias da área central forem realocadas, o santuário poderia abrigar até 70 animais.

A paisagem Shahgarh na fronteira internacional em Jaisalmer foi considerado adequado para ter 15 chitas, inicialmente, que poderia ser aumentado para 40 por gestão de habitat. No entanto, uma vez que a área tem utilizado sazonalmente assentamentos humanos, eles terão de ser deslocados com uma compensação adequada e generosos planos alternativos devem ser apresentados.

Fonte: http://www.deccanherald.com

Anúncios

Uma resposta

  1. Que noticia maravilhosa!Os guepardos são felinos lindos!
    Bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: