Maternidade Animal: Bebês porquinhos miniatura


Como acontece nos finais de ano a sociedade atinge seu pico de consumo… bens, serviços, alimentos, tudo oque o dinheiro possa comprar para realizar nossos apetites. O frenesi é generalizado e em nome da “fartura” fazemos nossas vítimas. O reino animal esta acuado, por seres ditatoriais que dominam a terra. Vamos acabar com esta loucura, abrir nossos corações, desejar e proporcionar a Paz a todos os seres vivos, principalmente os inocentes que dependem de nós!

Estes lindos bebês podem não ser exóticos ou selvagens, ou estarem ameaçados de extinção, mas possuem o mesmo valor que qualquer ser vivo neste planeta, não existe vida maior ou menor, inferior ou superior. A vida é divina e a nós, nos cabe contemplar estes lindos porquinhos miniatura que nasceram no Jardim Zoológico de Basel. O Zoológico é o lar de uma grande família de suínos incluindo javalis, porcos entre outros.

Respeitem os animais. Eles sentem e sofrem como nós. Não os maltratem, não os torturem, não os prendam, não os matem.

Você faz parte – Descubra o verde!


Tempos modernos


Maternidade Animal: Conheça a pequena bebê Wombat


A pequena órfã Wombat está recebendo todos os cuidados no Hospital da Vida Selvagem de Taronga. A pequena bebê se chama ‘Mirrhi “, foi resgatada ao longo de uma estrada, onde sua mamãe infelizmente tinha sido atingida por um carro. Mirrhi agora tem uma nova mamãe, a enfermeira da vida selvagem Amy, que a leva para casa todas as noites.

Os Wombat, são marsupiais e são encontrados em florestas e montanhas do leste-sul da Austrália e Tasmânia. O nome wombat é de origem aborígene, que foram os primeiros habitantes desta região.

Os Wombats cavam tocas com seus dentes e garras poderosas. Uma curiosidade dos wombats é a sua bolsa, diferente de marsupiais como o canguru, ela esta localizada para trás. A vantagem é que, quando esta escavando seus filhotes ficam protegidos e a sujeira não vai para a bolsa.

Diferentemente da maioria dos outros marsupiais australianos, o wombat tem um cérebro relativamente grande. Isto, aliado com seu forte instinto selvagem, permite que bebês criados em cativeiro possam ser facilmente colocados em liberdade. Os Wombats com seus habitos noturnos e fortes instintos para escavação, tornam-se inviáveis como animais de estimação.

Fonte: www.taronga.org.au

Quando Papai Noel ficou verde


Existe melhor figura, do que o Papai Noel para ensinar nossas crianças a se tornarem nais “verdes” conscientes e atuantes nas causas envolvendo o meio ambiente? Mais do que presentes ele nos tráz consciência e reflexão com nossas atitudes do dia-a-dia. Costumamos dizer que a melhor maneira de promover o verde é com as crianças, que um dia ocuparão nossos lugares como adultos.

 

Um bom exemplo é o livro, “When Santa turned Green” ou “Quando Papai ficou verde” escrito por Victoria Perla. Neste livro, Papai Noel descobre que sua casa, o Pólo Norte esta derrentendo e então a aventura começa, impresso com tinta a base de soja em papel reciclado.

Quando o Papai Noel ficou verde realmente ajuda as crianças a compreenderem a importância de cuidar de nosso planeta e solucionar a crise climática. Al Gore, ex-vice-presidente E.U.A
 
Aproveitamos para desejar um Feliz Natal! Com muita Paz, Saúde, Alegrias e Respeito aos seres vivos e ao Planeta.

Veja mais aqui > www.mygreensanta.com

Incríveis telhados verdes da Noruega


Os noruegueses são referência quando o assunto é respeito e boas práticas em relação ao meio ambiente, são considerados os precursores dos atuais “telhados verdes”. Por centenas de anos as casas da Noruega foram cobertas naturalmente pela relva. Alguns telhados possuem uma grande variedade de espécies de relva, flores, ervas e até mesmo pequenas árvores.

As vantagens dos telhados verdes são muitas. Por serem muito pesados, ajudam a estabilizar a casa, fornecem isolamento térmico, purificam o ar, servem como abrigo e fontes de alimento para passsáros, borboletas, joaninhas, etc…

Os Telhados Verdes na Noruega são uma tradição e podem ser vistos por toda parte. Estes telhados na Escandinávia foram cobertos com casca de bétula e gramado desde a pré-história.

Desde o período “Viking” e da Idade Média as casas já contavam com telhados verdes. Nas áreas rurais os telhados verdes eram quase unanimes até o início do século 18.

Os telhados com telhas convêncionais, apareceu muito depois nas cidades e nas casas senhoriais rurais, gradualmente substituíndo os telhados verdes, exceto em áreas mais afastadas no interior durante o século 19.

Atualmente existe um forte movimento buscando preservar e fortalecer as antigas tradições. A partir deste movimento, os telhados verdes começaram a reaparecer como uma alternativa aos materiais modernos.

Todos os anos, desde 2000, um prêmio é dado ao melhor projeto de telhado verde na Escandinávia.

Fonte: http://www.amusingplanet.com

Naturize-se